de como o mundo afinal não se perDeus

era perito em fazer o tipo de lavagem cerebral que inconscientemente todos os elefantes adoravam. hipnotizava as galinhas e lia os pensamentos aos mosquitos. um dia, deus decidiu que queria nunca ter existido e que afinal todos fôramos peixes de aquário. todos menos Ele. Ele fôra/seria sempre um bicho da seda. e foi assim que Ele foi quase deus durante uma semana. omnisciente. e foi assim que uma semana depois se fechou num armário para decidir que afinal era homossexual e queria ser uma borboleta. pariu milhões de ovos iguais ao seu alter-ego e morreu cansado de não fazer nada. dos mil ovos nasceram mil Ele. omnipresente. e foi assim que afinal deus não desapareceu.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna