pequeno parêntesis XXII

a ti, dar-te-ia as minhas veias e uma seringa despreocupadamente. e o que daí fizesses, oh, isso seria contigo! eu não me importaria com nada. com quase nada. não me importaria desde que não te injectasses em mim. nesse caso, ver-me-ia obrigada a suicidar-nos.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna