pequeno parêntesis VIII

Carolina, já sabemos da tua capacidade compulsiva de complicar o simples e simplificar o complicado. porra, isso é irritante. é frustrante que para uma pergunta de resposta curta, respondas com milhentas frases abordando assuntos completamente à parte, misturando o físico com o metafísico e sabe-se lá que mais. é frustrante que arranjes dúzias de conclusões e não te decidas por nenhuma. da mesma forma que é frustrante numa questão que requeira alguma reflexão, um certo desenvolvimento, te limites a uma resposta de palavra e meia. é irritante, deveras irritante.
Luna, para que queres que arranje somente uma conclusão e me agarre a isso quando tão bem sabemos que nada é certo e tudo pode mudar? conclusão há só uma: a morte, já dizia Fernando Pessoa. e o simples é aquilo que tu tens quase dado como garantido; é aquilo que tu podes aprofundar sem correr o risco de te perder. e não me parece útil alongar-me nessas questões "importantes", que são aquilo que garantidamente não tens, já que aquilo que é "importante" pode deixar de o ser de amanhã para depois. nem tão pouco me parece inteligente falar daquilo que nunca vivi, já que as coisas são diferentes quando postas à nossa frente. portanto, não nego à partida, nego à chegada.

Carolina/Luna
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna