três-meio-dois-a-dois

Esse acto de atribuir significados demasiado importantes a objectos demasiado inúteis sempre me foi incompreensível. Um fio velho com um pedaço de madeira pendurado, deveria ser lixo apenas. Não deveria ser uma data, um objectivo e muito menos uma tatuagem.
Digo-te, se soubesses o significado que quiseram por força atribuir a esta pequena inutilidade, não quererias tatua-la no teu corpo. Basta-te o que já tens.
E eu, se soubesse ser mais forte do que objectos inúteis, não me forçaria a trazer lixo no pescoço. Assim teremos que esperar até ao próximo orgasmo - pode ser que caia tudo acidentalmente no chão, novamente. De vez.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna