pequeno parêntesis III

sabes (não tu, o outro - de ti já não quero saber), eu sou um pequeno poço de instabilidades e tu tendes a destabilizar-me sempre que acabo de me estabilizar. eu equilibro-me como consigo em cima de uma pilha de papéis e lá fico a falar sobre tudo aquilo que acho fantástico. e é então que me interrompes, enches o ar de patranhas e amachucas tudo o que está debaixo de mim (estás a acompanhar?). no meio de todos esses tremeliques que provocas, lá consigo a grande custo trepar para cima de um pedaço de papel velho e prosseguir com os meus monólogos demasiado cheios de nada. e até aqui, tudo razoavelmente bem. tudo razoavelmente bem, até ao dia em que decidas apagar um dos teus cigarros irritantes numa das minhas pilhas de papel.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna