D

Ainda acredito que-
E eu não gosto de acreditar. Detesto. Não posso, aliás, acreditar. Onde caralho se meteu o meu pseudo-cepticismo/pessimismo de estimação?
Estou cansada de depender de esperanças estúpidas. Ilusórias, aposto. Ridículas. Esperança é banalismo e banalismo é coisa de fracos.
Mas eu acredito, sabes? Contra-vontade, mas acredito. Em ti/nós. Infelizmente.
Devias foder-te. Devias foder-te muito. Aliás, toda a gente se devia foder. Todos o que são como tu. Otários.
Devias foder-te. Ou devias abrir os olhos/Dar-me motivos para acreditar. Mas és uma merda. Há quarenta e um dias ou mais.

Após Escrito: quando Eu voltar, as minhas palavras voltarão também. Até lá, boas projecções astrais.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna