bom orgasmo e que arranjes muito tabaco

Alberto, não sei se já te disse mas temos o quarto assombrado. Sempre que sais de madrugada para ir às putas, fico eu na nossa cama, enterrada em cobertores, enquanto espíritos idiotas vagueiam pelo quarto, lendo mudamente definições manhosas de Insónia. Eu acho que eles não gostam de ti, ou caso contrário não aguardariam a tua saída para me acompanhar. Isso também não é importante. Aquilo que importa para agora - e aquilo que te quero dizer - é que enquanto matas a fome à tua líbido com um orgasmo ou dois, eu reflicto sobre o revólver que guardas na mesa de cabeceira.
Apaixonei-me por um fantasma e a vida não é uma solução.
Deixo-te sopa de feijão para uma semana no frigorífico. Depois disso, morre à fome - as putas não sabem cozinhar.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna