morrer contigo

morrer como tu era a coisa mais bonita que me podia acontecer agora. levar-me daqui, para longe ou para perto mas levar-me daqui e fazer-me acreditar que não tinha de voltar nunca mais. mesmo que fosse mentira. mas morrer como tu. morrer sem dor, morrer depressa mas morrer calmamente, morrer sem morte. morrer como tu era morrer sem morrer e ficar sem ficar. era só morrer. era só ficar por aí, não por aqui, era só morrer por ir e nunca mais poder voltar. e nunca mais querer voltar. morrer como tu era ser como tu, era ser como eu quero, era ser como tu queres. ser como nós. morrer como nós? morrer como tu e saber que não tenho de saber nada, que não tenho de dizer nada, que posso só morrer e ficar assim, morta sem ser cadáver. desligar-me. desligar-me de tudo menos de ti e de nós e ficar assim, morta para sempre. morta como tu. felizes para sempre, juntos, como queremos, longe da vida. longe daqui. mortos.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna