cinquanta-e-um-quinze

As pessoas substituem-se umas às outras à velocidade da luz. Eu não gosto de substituir pessoas, gosto de substituir actos. E não sei quanto tempo depois, posso fingir que está tudo bem, que sempre esteve, que assim é que funciona. Que sempre foi assim. Porque, ora, sempre foi assim. Sempre tive um e nunca tive outro. Sempre pude usar um e sempre usei demais outro. Sempre vivi mais onde devia morrer. E se ninguém morre, todos fodem. E é isso. É sexo. Sexo velho. Substitui-se o errado em 7. Demasiado fácil. As cadeiras não têm pernas.

Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna