pequeno parêntesis XIV

escusas de vir dizer que o Mundo é uma merda, estou demasiado embriagada para conseguir argumentar. demasiado embriagada para que o Mundo me preocupe. o que é o Mundo? revoltas alheias... o que é que isso me interessa? tenho as minhas revoltas privadas, não preciso de mais. e esta, hã? alguma vez paraste para pensar que não és a única pessoa no Mundo que está insatisfeita? insatisfeitos estamos todos. aliás, o cliché não é gostar da sociedade. o cliché é precisamente criticar, como tu bem fazes. queres ser diferente? todos querem. o cliché não é ser igual, o cliché é querer ser diferente. como tu (o que acaba por nos levar à igualdade - mas isto é como um dado viciado, que não me apetece discutir). queres que continue? o cliché é mesmo apontar o cliché. como eu faço. influenciáveis somos todos. até tu. o que seria de ti se não fosses influenciado por nada? serias o bebé de 4 anos que os teus pais educaram (e terias sido influenciado na mesma). portanto espreme bem esse cérebro, antes de voltares a abrir essa boca. fervo em pouca água sob o efeito de álcool, já sabes. e aqui não és mais nem és menos. não és melhor nem és pior. és igual. queres o que toda a gente quer. és um cliché com pernas. só não te expressas da mesma forma. e então? aqui és igual e aqui bebes o mesmo que toda a gente.

agora podes irritar-te com a tua falta de liberdade. podes revoltar-te com o facto de seres só Humano.


Carolina
blog? São ensaios cegos, lúcidos, físicos & metafísicos. É uma mente deteriorada e uma mão cansada. Ou incansável. Relógios parados. E sangue? (...) Mas sobretudo perda de tempo. E possivelmente mais qualquer coisa. Não sei. Incerteza também.

yeah, thanks

© 2010, Luna